28 setembro 2015

SOBRE A LEI DO VENTRE LIVRE E O PEQUENO PRÍNCIPE


Oi oi, minha gente! Tudo bem com vocês? Para quem não sabe, hoje é o dia que foi sancionada a Lei do Ventre Livre, decreto que libertava os filhos de escravos maiores de 21 anos nascidos após 28 de setembro de 1871. Essa foi uma das primeiras ações abolicionistas criadas no nosso país, que à época borbulhava de acontecimentos super marcantes.  Mas não vim dar uma aula de história pra vocês, na verdade, vim compartilhar alguns pensamentos sobre o filme ‘O Pequeno Príncipe’ e entendo que tem tudo a ver com essa data. :) 

Pra início de conversa, devo confessar que nunca li a versão original da obra, o livro de Antoine Saint-Exupéry, mas já estou louca para tê-lo em minha escrivaninha. <3 




Saint-Exupéry define a estória do principezinho como ‘urgente para adultos’ e logo nos primeiros minutos já entendi o recado. Nós, adultos, precisamos sempre de explicações demais para as coisas, quando, na maioria das vezes, apenas sentir é o importante. O filme é apaixonante, mas algumas frases saltam da tela direto para os meus ouvidos e me fizeram refletir muito. Vim dividir com vocês:






"Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos".



 Maquiagem, cabelo, roupas e mais roupas. Tudo isso é muito lindo, muito interessante, mas a alma das pessoas não está enfeitada com nada, ela vive despida e só podemos ver o melhor da outra pessoa se passarmos a enxergá-la com o nosso coração. Sabe aquele amigo ranzinza, chefe incompreensivo ou até mesmo os caretas dos nossos pais? Eles precisam ser vistos através dos olhos do seu coração. São mais bonitos, pode crer (:







 "Quando se foi cativado, chorar um pouco faz parte". 



Nessa geração cada vez mais fast que vivemos, tudo passa muito rápido, dura menos, é mais superficial, descartável. O problema é que levamos essa superficialidade também para os nossos relacionamentos. ‘Se me faz chorar, não me faz bem’, ‘Se apega, não’, ‘Ele não vale o esforço’ é o que ouvimos muito por aí, mas esquecemos que para que qualquer relacionamento se aprofunde é necessário carinho, doação, sinceridade, cuidado e respeito. Não apenas amorosos, mas em toda sociedade afetiva que escolhemos fazer com o outro.




 

"Virar adulto não é problema, o problema é esquecer".


 Tantos afazeres diários nos tiram a coisa que é mais linda quando fomos crianças: a espontaneidade. Maquinamos um diálogo prevendo a resposta do outro, estamos sempre na defensiva e desconfiamos de todo mundo. Por fim, esquecemos como é bom conhecer as pessoas sem pré-julgamentos, algo que era tão simples pra gente quando meninos e meninas. Não julgávamos por um simples motivo: inconscientemente a gente sabia que cada pessoa é única e não pode se encaixar em latinhas rotuladas. 




 ‘Izabella, o que esse filme tem a ver com a Lei do Ventre Livre’? Se você reparar, escolhi para ilustrar essa postagem um ensaio fotográfico de um principezinho negro, que é livre hoje, que pôde ser príncipe depois que uma lei foi sancionada e permitiu a ele e a nós algo muito importante, que tanto o filme como essa data fazem menção: liberdade.






 * As imagens que ilustraram esse post são pertencentes a este site. 

Um beijo,Bella





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante pra gente. Se joga <3

Posts Recentes

recentposts

Mais Vistas

randomposts

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *