06 agosto 2016

10 negros de destaque na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos #Rio2016

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos #Rio2016 foi incrível! Um show de luzes, cores e sons tomou conta do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. Maaas, tem uma coisinha que não passou desapercebida aos meus olhos: a representatividade negra nessa abertura. Vários negros deram close super certo na celebração e é sobre eles T vamos falar.
O que comem, onde vivem? Tia Bella veio explicar tudinho, inclusive o motivo que os fizeram participar de um momento tão significativo para o país.

Elza Soares


RAINHA. DONA, LACRADORA DAS GALÁXIAS. Eu poderia me limitar a defini-la com esses três adjetivos, mas dona Elza ainda transcende todos eles. Escolhida pela BBC como a ‘A Cantora do Milênio’, Elza é uma mulher de posicionamentos fortes e autênticos, evidenciados pelo visual, que não passa desapercebido. Elza é feminista e resistente. Elza é mulher forte, de peia (como dizemos aqui em Sergipe). No último dia 03 lançou ‘A Mulher do Fim do Mundo’, seu 34º álbum.

Karol Conka



Se tombou? Karol Conka é uma das novas vozes negras que tem dado muito (muito <3) o que falar. Começa quando a gente tenta absorver que acontecimento de mulher é aquele. Começa quando a gente acha incrível o trançado rosa dos cabelos de Conka. Intérprete de letras urgentes e empoderadas, Karol representa super o rap feminino. Tê-la no lugar do Biel para a abertura dos jogos não poderia ter sido uma escolha mais acertada.

MC Soffia

*Respirando através de aparelhos* Que criança é essa¿ Soffia surgiu para o Brasil inteiro há pouco tempo, como uma estrelinha brilhante que ‘alumia’ tudo. Soffia tem 12 anos e demonstra uma consciência gigantesca sobre a beleza das raízes afro-brasileiras, sobre os povos que foram escravizados e sobre uma parte da história que as escolas não contam. Quero abraçar a mãe dessa menina, porque tenho certeza que grande parte do empoderamento que Soffia tem é graças à educação que recebeu.

Dream Team do Passinho


Lellêzinha e a galera do Dream Team do Passinho ficaram conhecidos durante uma campanha para a Coca-Cola na Copa do Mundo do Rio. São da favela e têm um remelexo delicioso, que traduz toda a nossa brasilidade. Eles são a voz da periferia e mostram como a oportunidade aliada ao trabalho é receita certa de sucesso.

Thawan Lucas da Trindade


Esse chocolatinho sambando ao som das caixinhas fósforo de Wilson das Neves (outro preto arretado) é demais pro meu coração. Com oito anos, Thawan fez a gente babar muito naquelas perninhas saltitantes e super rápidas.

Jorge Alberto de Oliveira Gomes



Jorge Alberto acendeu a ‘Pira do Povo’, que fica em frente à Igreja da Candelária, palco de uma chacina devastadora há alguns anos. Jorge tem 14 anos e toda a beleza da descoberta das coisas que a idade lhe proporciona. Ele pode até não entender ainda, mas a grandiosidade simbólica de um atleta negro, da periferia e adolescente acender a chama gigantesca que iluminará os 17 dias de Jogos Olímpicos é monumental.


Fico muito emocionada quando vejo as mulheres e homens negros ocupando espaços tão simbólicos. Dá um orgulhinho em perceber que cada vez mais temos pretos lindamente empoderados e que as pessoas começam a dar ouvidos ao que temos pra dizer.

Um beijo,

Bella. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante pra gente. Se joga <3

Posts Recentes

recentposts

Mais Vistas

randomposts

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *