09 abril 2017

13 MOTIVOS PORQUE AS MULHERES NEGRAS DEMORAM A APRENDER SOBRE AUTOESTIMA

Terminei de assistir a série da Netflix  “13 reasons why” e meu coração ficou do tamanho de uma bolinha de pingue-pongue. Ela fala sobre 13 motivos que levaram uma menina do ensino médio ao suicídio. Uma série densa, pesada, triste, mas muito, muito necessária.
E pensando em nós, mulheres negras brasileiras, percebi que existem também 13 fatos, minimamente, que nos fazem demorar um pouco mais para entender sobre quem somos e como podemos lidar com a nossa autoestima. Vamos a eles?

1-       Nossa identidade se resume, basicamente à cor da nossa pele. Ninguém vê uma pessoa branca ou magra sendo chamada por um conhecido de “E aí branquinha/E aí, magrinha”, mas, é absolutamente comum as pessoas se reportarem a uma pessoa negra ou gorda como “E aí, gordinha/ E aí, negona” (amo o apelido de negona, mas aqui estou me referindo à questão da identidade mesmo)


2-        Nossas formas sempre foram ditas como grosseiras. Nariz largo, lábios carnudos, olhos redondos demais... Todas as nossas características físicas sempre foram colocadas como feias, grotescas.

3-      Quantas bonecas negras você via nas prateleiras das lojas de brinquedos? Não nos víamos representadas nos nossos heróis da infância. Como ser negro pode ser legal se não existem nem brinquedos da nossa cor?

4-     Nossas mães/pais, quando éramos crianças, penteavam o nosso cabelo de uma forma que escondiam os nossos cachos. Pentear o cabelo era algo muito doloroso, então criou-se o estigma de que cuidar de cabelo crespo é algo difícil.


5-       Enquanto as mulheres brancas lutam pelo direito de se vestirem como quiserem, nós lutamos pelo direito de não sexualizarem nossos corpos.

6-    Pouco se vê mulheres negras na mídia e, quando estão, dificilmente aparecem em posição de destaque.

6-      Nunca existem as coisas nude/cor de pele pra gente. Nem meia calça, nem batom. Contente-se com as pernas amareladas.

7-      Também não existiam produtos para os nossos cabelos, que precisavam se contentar com o “redutor de volume”, “calmante para cabelos rebeldes”, e liso extremo.

      8-     Até pouco tempo, não existia maquiagem para nós. É como se nós, mulheres negras, maioria da população e também consumidora, não tivéssemos direito aos cosméticos, à estética.


10-   Recebemos 79% menos do que homens brancos para assumirmos as mesmas funções nas empresas. Somos a maioria de trabalhadoras nos subempregos. “A carne mais barata do mercado é a carne negra!”.

11-    Representamos menos de 35% da população das universidades. E quando se fala em mestrado e doutorado os números despencam ainda mais.

12-    Segundo algumas pessoas, não fomos feitas para o amor. Quando muito, e levantemos as mãos para o céu e agradeçamos, para uma saída causal. Quem iria querer namorar com uma mulher de pele preta, não é mesmo?


13-   Em algum momento das nossas vidas, seremos marcadas pelo racismo. E falar sobre ele sempre é demais. Quando levantamos o tema, alguém da roda vai diz que somos exageradas e esse negócio de racismo é falta do que fazer.

Nós nascemos para a liberdade. Mas não uma liberdade apenas física, nascemos para a liberdade também da nossa beleza, das nossas mentes e almas.

Um beijo,
Bella.


*Texto com a colaboração de Lívia Porto e LucianaNascimento.

Um comentário:

  1. Nossa sabe aqueles posts que realmente te tocam? Esse é meu caso agora! É muito mais demorado a aceitação pro negro por todas essas coisas que você falou ai. Só estou conseguindo me sentir bem mesmo com minha cor agora com 18 anos, olha quanto tempo demorei pra ver o quanto sou lindo e o quanto minha cor é maravilhosa. Quero te parabenizar por seu trabalho, não deixa nunca nada e nem ninguém te parar pois você ta ajudando muitas e muitas pessoas.

    Beijos no seu coração <3
    http://thayloncardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sua opinião é muito importante pra gente. Se joga <3

Posts Recentes

recentposts

Mais Vistas

randomposts

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *